Orquestra Sinfônica da Paraíba

   

A Orquestra Sinfônica da Paraíba foi fundada em 4 de novembro de 1945 por integrantes da Sociedade de Cultura da Paraíba, liderada pelo professor Afonso Pereira da Silva. Atuou por mais de 20 anos, até que, na segunda metade da década de 1960, por falta de estrutura e apoio, chegou a interromper suas atividades, que foi retomada em 1979, a partir de um convênio entre a orquestra, que já integrava o governo estadual, e a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Na segunda metade da década de 1980, sob a direção artística e regência do maestro Eleazar de Carvalho, foi incluída entre as melhores orquestras sinfônicas do País. 

Em 2019, a orquestra paraibana foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural do Estado através da Lei nº 11.330, de autoria da deputada estadual Cida Ramos, publicada na edição do dia 18 de maio daquele ano do Diário Oficial. 

Integram o corpo da OSPB, a Orquestra Sinfônica Jovem, a Orquestra Infantil da Paraíba, o Coral Sinfônico da Paraíba e o Coral Infantil da Paraíba. Entre os eventos de música erudita que tiveram a participação da orquestra paraibana estão a estreia sul-americana da Sinfonia dos Dois Mundos, com texto de Dom Hélder Câmara; o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão; apresentação da ópera Carmina Burana do compositor Carl Orff e a gravação de dois CD´s, sendo o segundo com participação de solistas internacionais.

Também fazem parte das atividades da OSPB, concertos populares com artistas brasileiros, a exemplo de Marinês, Sivuca, Elba Ramalho, Ângela Rô Rô, Arnaldo Antunes, Tico Santa Cruz e Renato Rocha (Detonautas), Flávio José, Genival Lacerda, Alcione, Toninho Ferragutti, Geraldo Azevedo, e Dominguinhos, além de apresentações comemorativas ao aniversário da cidade de João Pessoa com participações de Zélia Duncan, Zé Ramalho, Cátia de França e Nathalia Bellar e Chico César. 

A Orquestra Sinfônica da Paraíba tem Márcio Carvalho como diretor executivo e o maestro Luiz Carlos Durier como diretor artístico e regente titular. Paraibano de João Pessoa, o maestro é o regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem da Paraíba (OSJPB) há 24 anos e, em setembro de 2013, foi nomeado diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica da Paraíba (OSPB). Seu trabalho direcionado para jovens músicos em formação tem reconhecimento em todo o Brasil. 

Como regente convidado, conduziu a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, Orquestra Sinfônica do Estado de Sergipe, Orquestra Sinfônica da UFRN e Orquestra Criança Cidadã do Recife. Durier também regeu a Orquestra de Cordas da 29ª e 30ª Oficina de Música de Curitiba. No ano de 2012, o maestro recebeu a Comenda de Honra ao Mérito, pelo desempenho profissional frente a OSPB.