Funesc realiza Agosto das Letras 2017 e homenageia Sérgio de Castro Pinto

 

Sérgio de Castro Pinto com Cybelle Macedo, Tatiana Cavalcante e Thaïs Gualberto
Sérgio de Castro Pinto com Cybelle Macedo, Tatiana Cavalcante e Thaïs Gualberto

A terceira edição do Agosto das Letras vai homenagear Sérgio de Castro Pinto, poeta, jornalista e professor de literatura brasileira. O evento – mais uma vez – será promovido pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba, no período de 17 a 20 de agosto nas dependências do Espaço Cultural.

 

Bate-papos, oficinas, lançamentos e feira de livros, shows, teatro, dança e música são alguns dos ingredientes que teremos durante esses quatro dias de evento. Conforme Tatiana Cavalcante, da organização do Agosto das Letras, essa terceira edição ampliará o espaço para a literatura paraibana, através de lançamentos e debates.

 

Também serão destacados os quadrinistas e ilustradores, além das editoras e livrarias presentes no mercado paraibano. Cybelle Macedo, também da organização do Agosto das Letras, adiantou que as inscrições serão abertas em breve, inclusive para expositores que desejem armar estandes no evento.

 

Ano passado, o Agosto das Letras teve autores de várias partes do Brasil, inclusive São Paulo e Rio Grande do Sul. Para se ter ideia da amplitude, somente o Quadrinhos Intuados (evento dentro do Agosto das Letras, coordenado por Thaïs Gualberto) teve profissionais da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Alagoas, Piauí, Maranhão e Bahia.

 

Para mais informações sobre a terceira edição do Agosto das Letras, você pode enviar e-mail para a equipe da Biblioteca Pública Juarez da Gama Batista (bibliotecafunesc@gmail.com). Também pode ligar para o seguinte telefone: 3211-6220.

 

Sérgio de Castro Pinto – Uma das maiores referências da contemporânea poesia paraibana, Sérgio de Castro Pinto tem mais de cinco décadas de dedicação às letras (como professor e como poeta). Ele acaba de celebrar 70 anos de vida.

 

Natural da cidade de João Pessoa, Sérgio de Castro Pinto publicou, no total, os seguintes livros: Gestos lúcidos (1967), ‘A Ilha na ostra’ (1970), ‘Domicílio em trânsito’ (1983), ‘O Cerco da memória’ (1993), ‘A Quatro mãos’ (1996), ‘Zôo imaginário’ (2005), ‘O Cristal dos verões’ (2007) e ‘A Flor do Gol’ (2014), todos de poesia.

 

Já na área do ensaio, ele lançou ‘Os Paralelos insólitos’ (1996), ‘Longe daqui, aqui mesmo – a poética de Mario Quintana’ (2000), A Casa e seus arredores (2006) e ‘O Leitor que eu sou’, em 2015, ano em que também gravou o CD ‘Muito além da Taprobana e de Pasárgada’, contendo cerca de 80 de seus poemas selecionados.

 

Ex-editor do Correio das Artes (suplemento do jornal A União), recebeu da respeitada Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), em 1981, uma premiação. A APCA avaliou que o Correio das Artes foi o suplemento que melhor divulgou a cultura brasileira, ao longo do ano anterior.

Deixe uma resposta