Apresentações em João Pessoa e no Conde celebram o Dia Internacional da Dança

 

dia da dança (1)A Fundação Espaço Cultural da Paraíba realiza mais duas atividade em alusão ao Dia Internacional da Dança, comemorado anualmente em 29 de abril. No sábado (28), a atração é o espetáculo/performance “Terreiro Envergado”, do Coletivo Tanz (PB), que se apresenta no próximo dia 28 (sábado), no Beco da Boemia, em Jacumã, município do Conde. No domingo (29), o Coletivo Redemoinho (UFPB) apresenta ‘Pequenas danças para não esquecer’, às 19h, no Teatro Paulo Pontes, em João Pessoa. O acesso é gratuito para os dois eventos.

A atração que chega ao Conde, “Terreiro Envergado” é o espaço urbano do rito passageiro da manifestação do “brinquedo beat” dos intérpretes que, a partir de ações gestuais e jogos propostos pelos próprios, estabelecem estruturas compostas de brincadeiras. As constituintes da brincadeira podem variar, seja de uma estrutura material ou imaterial.

A materialidade em cena percorre entre objetos, indumentárias e instrumentos que fazem parte da memória pessoal dos brincantes, a segunda é por sua vez a elaboração artística de uma esquematização dos códigos desta materialidade. A precariedade corporal é estabelecida pelo diálogo/conflito do equilíbrio instável da sensibilidade feminina e masculina do homem. Explicitada pelos os códigos corporais, pela própria indumentária e internalização feita pelo subtexto das ações e dos jogos propostos para o rito do Terreiro Envergado. Com duração de 30 minutos, a performance tem classificação livre. A criação e interpretação são de Edigar Palmeira e Erik Breno, a produção é de Viviane Freitas. A coreografia fica por conta de Coletivo Tanz e o figurino e sonoplastia são assinados por Edigar Palmeira e Erik Breno, respectivamente. A dupla também é responsável pelos adereços utilizados em cena.

Já o espetáculo que será apresentado em João Pessoa, “Pequenas Danças para não Esquecer” é inspirado no clássico livro “Ou Isso Ou Aquilo” de Cecília Meireles. O trabalho caracteriza-se como uma proposta coreográfica que busca compartilhar com o público um conjunto de experiências derivadas das relações entre poesia, cultura popular e corporeidade. O livro “Ou Isso Ou Aquilo” é uma obra que mistura cantigas de ninar, cantigas de roda, parlendas, trava-línguas e adivinhas originários da cultura popular brasileira através de formas de expressão muito próximas do mundo da criança e com efeitos estéticos bastante sugestivos, criativos e lúdicos.

A obra parte destas estruturas e gera um jogo coreográfico com as palavras, os ritmos, as rimas, as repetições e a musicalidade. A composição coreográfica, portanto, busca interpretar o contexto do jogo, da brincadeira, da relação entre espetacularidade e cultura popular como elementos da cena. Assim, partimos do livro para discutirmos a questão da importância da brincadeira em nossas próprias vidas. A pesquisa de movimento parte de estudos sobre escolhas, alternâncias e justaposições. É um espetáculo adulto orientado para despertar o quintal, a criança e a memória que habitam em nós. “Pequenas danças para não esquecer” fala sobre nosso pedaço de chão. |Duração: 40 minutos. | Classificação: livre | Ficha técnica – Direção e concepção: Victor D’Olive | Preparação corporal: Camila Belarmino | Intervencionistas: Camila Belarmino, Erik Breno, Miguel Segundo, Taciana Negri | Paisagem Musical: Topázio Gabriel | Concepção de Luz: Fabiano Diniz | Operador de Luz: Aelson Felinto | Produção: Aelson Felinto, Victor D’Olive.

Mês da Dança – O Dia Internacional da Dança ou Dia Mundial da Dança comemorado no dia 29 de abril, foi instituído pelo CID (Comitê Internacional da Dança) da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) no ano de 1982.

Ao criar o Dia Internacional da Dança a UNESCO escolheu o 29 de abril por ser a data de nascimento do mestre francês Jean-Georges Noverre (1727-1810). Ele ultrapassou os princípios gerais que norteavam a dança do seu tempo para enfrentar problemas relativos à execução da obra. Sua proposta era atribuir expressividade a dança por meio da pantomima, a simplificação na execução dos passos e a sutileza nos movimentos. Noverre se destaca na história por ter escrito um conjunto de cartas sobre o balé de sua época, “Letters sur la Danse”.

O Dia Internacional da Dança ainda é uma efeméride nova e até mesmo desconhecida para muita gente, pois começou a ser realmente lembrada no Brasil nestes últimos anos. Cada vez mais, no entanto, artistas e profissionais da área reconhecem que é importante celebrar a data para, inclusive, dar maior visibilidade à dança, lembrar-se de sua importância e de suas demandas.

 

Foto: Thercles Silva
Foto: Thercles Silva

Serviço: Mês da Dança

28/04, às 20h

Espetáculo: Terreiro Envergado (Coletivo Tanz, PB)

Local: Beco da Boemia, em Jacumã, município do Conde

Entrada: gratuita

Realização: Funesc

 

 

PEQUENAS DANÇAS PARA NÃO ESQUECER529/04, às 19h

Espetáculo: “Pequenas danças para não esquecer” (Coletivo de Dança Redemoinho – UFPB)

Local: Teatro Paulo Pontes, Espaço Cultural José Lins do Rego, João Pessoa

Duração: 40 minutos | Classificação: livre

Entrada gratuita

Deixe uma resposta